SOBRE     |     FALE CONOSCO

GERAL

Preso o acusado do assassinato dos vigilantes do IFF em Campos

POSTADO EM 14/08/2020 13:33:00 POR: VNOTÍCIA
Foto: Reprdução/Record TV
Foto: Reprdução/Record TV

 

Foi preso na manhã desta sexta-feira, 14, em Campos o acusado do assassinato de dois vigilantes do IFF (Guarus). Um dos vigilantes, Raul Cesar Gomes Teixeira, 40 anos, era filho do chefe de gabinete da prefeitura de São Francisco de Itabapoana, Jorge Raul.


O bandido foi preso no bairro Jardim Carioca, no subdistrito de Guarus, em Campos, próximo a Comunidade do Madureira, no bairro Jardim Carioca.

 

Segundo informações da Polícia Militar, integrantes da P2 da Polícia Militar, que estavam a procura do bandido, o encontraram pedalando no Centro de Campos. Os policiais o acompanharam, sem que ele percebesse, até a descida da Ponte Barcelos Martins onde foi abordado.

 

Segundo a PM, o suspeito tentou resistir a prisão, mas acabou sendo capturado.

 

Até o momento, a arma do crime não foi encontrada. O suspeito foi levado para a sede da 146ªDP (Delegacia de Guarus) onde o caso está sendo investigado.

 

VEJA COM FOI O CRIME AQUI NO VNOTÍCIA


O filho de Jorge Raul, chefe de gabinete da prefeitura de SFI, Raul César Gomes Teixeira, de 40 anos, a esquerda na foto, que atuava como vigilante do IFF Guarus,  foi assassinado na madrugada desta sexta-feira, 14,  junto com um colega seu, também vigilante, Bruno Santos Rosa.

 

 

O  VNOTÍCIA apurou que as armas das vítimas foram roubadas. Segundo informações,  o bandido saiu do local a pé, abordou um homem na ponte Mocaiber, roubou sua bicicleta e fugiu do local. 

 

De acordo com a polícia, o autor do roubo foi um bandido de cor morena, de aparentando 35 anos. Ele invadiu o local, rendeu um dos vigilantes, roubou sua arma e atirou à 'queima-roupa'. Em seguida, atirou e matou o segundo vigilante com a arma roubada.

 

O VNOTÍCIA apurou que o  chefe de gabinete da prefeitura e ex-delegado de polícia civil, foi para Campos liberar o corpo do filho. A amigos ele ligou dizendo: "Mataram meu filho... mataram meu filho... ". Só dizia isso e chorava muito. 


 

Segundo o site Folha 1, o caso é investigado pela 146ª Delegacia de Polícia, de Guarus. Os corpos foram removidos para o Instituto Médico Legal (IML).

 

O reitor do IFF, Jefferson Azevedo lamentou o ocorrido.

 

 — Todos nos estamos profundamente abalados. Uma tragédia para todos do nosso IFF Guarus, nosso instituto e para as famílias que perderam esses dois colegas. A instituição está entrando hoje em luto oficial por três dias.


É algo muito trágico, algo difícil. Nós estamos tomando as juntos com a empresa, a diretora, Tatiana, esteve lá quando recebemos a notícia, pouco mais de 01h da manhã. a empresa está se mobilizando para dar todo apoio às famílias, todos os procedimentos necessários. O que a gente pode falar é dessa grande tristeza.


Ver dois colegas, no exercício de sua profissão, perderem a vida de uma forma tão brutal — disse o reitor que acrescentou ainda que a primeira versão é de que a ação tenha ocorrido na intensão de roubar uma arma

 

Leia mais em GERAL